Implicações escatológicas da Aliança Davídica

Para quem perdeu nossa introdução acerca da Aliança Davídica, recomendo a leitura desse post. Por conta do cumprimento literal de certos fatos apresentados na aliança acerca do futuro de Israel, temos alguns marcos que podem nos sinalizar coisas importantes nos dias atuais.

Vou abordar alguns aspectos literais que devem ser cumpridos.

Israel deve ser preservado como nação

Peters no livro Theocratic Kingdom, descreve:

O trono e o reino prometidos em aliança a Davi, ligados como estão a nação judaica… necessariamente requerem… a preservação da nação. Isso deve ser feito; e hoje vemos essa nação maravilhosamente preservada até o presente, apesar de os inimigos, mesmo as nações mais fortes e os impérios mais poderosos, terem perecido. Isso não ocorre por acaso; pois se nossa posição estiver correta, isso é algo absolutamente necessário, visto que sem a restauração da nação é impossível restaurar o reino de Davi.

A linguagem da aliança, o juramento de Deus, a confirmação da promessa pelo sangue de Jesus, os pronunciamentos proféticos – tudo, apesar da descrença da nação, requer sua perpetuação, para que por meio dela as promessas e a fidelidade de Deus sejam vindicadas. Deus assim cuida para que Sua Palavra seja cumprida. Se pensarmos no assunto, todo judeu que encontrarmos na rua é evidência viva de que Messias algum dia ainda reinará gloriosamente no trono de Davi, e de estenderá um domínio global.

Israel deve ser trazida de volta à terra da sua herança

Já que o reino de Davi tinha fronteiras geográficas definidas e essas fronteiras foram estabelecidas como característica da promessa a Davi a respeito do reinado de seu filho, a terra deve ser dada a essa nação como local de sua pátria nacional.

O filho de Davi deve voltar a terra

O filho de Davi, o Senhor Jesus Cristo, deve voltar à terra, de forma corporal e literal, para reinar sobre o reino prometido de Davi. A alegação de que Cristo está sentado ao lado do Pai, reinando num reino espiritual, a Igreja, simplesmente não cumpre as promessas da aliança.

Um reino terreno literal deve ser constituído

Um reino como nação mesmo deve ser constituído para que o Messias retorne e reine nele. Peters continua em seu livro:

O cumprimento das promessas da aliança implica, em vista do trono e do reino restaurado de Davi, que o reino messiânico é um reino visível e externo, não simplesmente espiritual, apesar de conter aspectos espirituais e divinos. Sua visibilidade e correspondente reconhecimento são uma característica inseparável da linguagem da promessa.

Deve ser um reino eterno

Esse reino deve se tornar um reino eterno. Já que trono, casa e reino são todos prometidos a Davi para toda a eternidade, não haverá fim do reino do Messias sobre o reino de Davi a partir do trono de Davi.

Por conta desses aspectos é evidente que a aliança davídica é de suma importância para os acontecimentos futuros.

No próximo post vamos fazer uma introdução acerca da última aliança com Israel, a Nova Aliança.

(Visited 41 times, 1 visits today)